quinta-feira, 16 de julho de 2009

ENFIM, JUNTO DE DEUS!



Dom Paulo Lopes de Faria, o bispo dos humildes, o pastor dos pobres, o ser humano especial que teve participação ativa em todos os movimentos sociais de Itabuna durante mais de uma década; enfim encontrou o seu lugar no mundo.

Melhor, o seu lugar na eternidade.

De Dom Paulo pode se escrever, sem parecer piegas, que cumpriu sua missão terrena e agora está ao lado de Deus, lugar destinado às pessoas de bem.

E junto de Deus, certamente Dom Paulo continuará zelando pelos mais humildes, que foram a sua razão de viver.

Em Itabuna, a presença de Dom Paulo coincidiu com a eclosão de uma das piores crises, senão a pior, já enfrentadas pela Região Cacaueira.

Uma crise que jogou centenas de milhares de pessoas na mais absoluta miséria e que formou um imenso bolsão de miséria na periferia de Itabuna.

Foi essa gente humilde, desassistida e à mercê de administradores mais preocupados com obras faraônicas do que com investimentos em infra-estrutura e investimentos em programas sociais, que Dom Paulo defendeu, conciliando sua missão de pastor de almas com uma presença marcante nos movimentos sociais.

Dom Paulo não teve medo de enfrentar os poderosos e nem se curvou às inúmeras pressões (vindas de fora e também de dentro da Igreja) para limitar sua atuação à função religiosa.

Foi um religioso do seu tempo, num tempo em que à Igreja não cabia apenas oferecer o reino dos céus e o conforto espiritual, mas também o apoio a uma vida digna aqui mesmo na terra.

Não é apenas coincidência o fato de que seu período de bispado em Itabuna se dado no momento em que houve um sopro de renovação na política e o fortalecimento dos movimentos sociais.

Não é sua culpa que esse processo tenha se arrefecido. O bom pastor pode até ensinar o caminho, mas não pode evitar que se desvie dele.

Dom Paulo, obviamente, está longe de ser uma unanimidade em Itabuna. Nem isso seria possível para alguém com seu perfil.

Mas é, sem sombra de dúvidas, uma das mais fascinantes personalidades de uma cidade que, prestes a completar seu primeiro centenário, está por lhe devotar um merecido tributo.

A celebração do primeiro centenário de Itabuna vem a calhar para essa homenagem mais do que justa à alguém que tanto lutou por justiça social.

2 comentários:

navidad disse...

Nunca melhor dito. Quem conheceu Dom Paulo sabe que ele conseguiu que muita gente baixasse a cabeça, ao mesmo tempo que ajudou muita gente a encontrar um lugar na terra e na Terra. Ele realmente foi uma mao de Deus prá os aflitos, apesar de que muitos pensaram e pensam o contrário.
Ótimo texto...Bonita homenagem!
¡Un abrazo!VilmaM.

Josivaldo Dias disse...

Muito bem Daniel. Como membro desta Igreja corroboro com vossa escrita. Tive a oportunidade de conviver com o sucessor de Dom Paulo e não precisa fazer comentário, nem muito menos comparação, pois retrocedeu a Igreja de Itabuna a décadas. Viva Dom Paulo!